João Garcia Barreto

João Garcia Barreto é membro da Sociedade Portuguesa de Autores, da GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas e da AMAEI e é membro de direcção da ANUARTIS – União das Artes. Ingressou, na música, aos 9 anos, aprendendo a tocar instrumentos de sopro (Trompete, Trompa, Trombone), solfejo e teoria musical, o que praticou até aos 12 anos. Frequentou duas escolas privadas de música com ensino equivalente ao Conservatório Nacional de Música durante 5 anos, onde aprendeu piano, orgão electrónico e sintetizador com os professores Hugo Tapadas, Miguel Tapadas, entre outros.  É teclista do projecto musical do lendário guitarrista Filipe Mendes (Phil Mendrix), cujo artista foi fundador dos Chinchilas e Roxigénio e músico convidado das bandas de Manuel João Vieira (Ena Pá 2000 e Irmãos Catita). Foi um dos músicos convidados do concerto dos 50 anos de carreira de Phil Mendrix, onde participaram, ainda, outros músicos reconhecidos, nomeadamente Jorge Palma, Tomás Pimentel, Manuel João Vieira, Camané, Filipe Larsen, entre outros. Entre 2013 e 2014, participou nas gravações do novo trabalho de Phil Mendrix. Em Novembro de 2014, lança o seu primeiro trabalho, “Refúgio”, em todas as plataformas web (Spotify, itunes/Applemusic, deezer, etc…),produzido por Vasco Teodoro e editado pela Plateia d’Ilusões. Contou com os músicos Daniel Lima, Filipe Gonçalves, João Correia, Patrícia Antunes, Patrícia Silveira, Paulo Fragoso, Pedro Azevedo e Ricardo Toscano. Colaborou no projecto de Jorge Vadio e presentemente colabora com Pedro Branco (poeta e autor, filho de José Mário Branco) e é músico e autor nos projectos musicais “Bombazina” (sem álbum editado) e “Dois Dedos de Poesia” (espectáculo). Participou no LisbonBowie2017 – Tributo a David Bowie que ocorreu no Titanic Sur Mer. Encontra-se a trabalhar no 2.º álbum. Em 2003, João Garcia Barreto recebeu a carta de recomendação de Pedro Abrunhosa e conheceu Manuel Moura dos Santos, tornando-se, por conseguinte, autor associado na Sociedade Portuguesa de Autores. Possui, ainda, todas as obras registadas no IGAC.  Faz teatro no grupo de teatro Passagem de Nível e integrou o elenco da peça “Os Anjos e o Sangue” de Bernardo Santareno. Fez a banda sonora das peças de teatro “Carnaval Infernal”, “Rituais da Terra” e “O Príncipe de Orelhas de Burro”, produzidas pelo Teatro Passagem de Nível. Colaborou como actor e autor de banda sonora com a Caixanegra – colectivo de criação no filme elaborado no âmbito do concurso 48h Film Project de 2016 que ficou em 2.º lugar.