Acervo da Música Independente Portuguesa

O primeiro volume do Acervo da Música Independente Portuguesa, proposto pela AMAEI, é um projecto de investigação, levantamento, documentação e promoção do património musical artístico contemporâneo nacional que visa catalogar pela primeira vez a vasta quantidade de edições independentes, sejam de editoras musicais independentes sejam auto-edições de artistas. Começando pelos mais de 70 associados
da AMAEI, mas visando também consultar a Fundação GDA de forma a conhecer melhor o universo dos artistas auto-editados, já que a Fundação GDA promove todos os anos apoios à auto-edição, o primeiro
volume do Acervo visa colmatar a quase total ausência de catalogação que possa promover o sector da música independente, física ou digital: o sector musical que se encontra actualmente em maior
crescimento, sendo 80% das novas edições contemporâneas edições independentes (de acordo com a informação da IMPALA – European Music Companies Association). Assim, o objectivo é iniciar a
publicação de um catálogo online, a ser apresentado ou inaugurado na Assembleia Geral da AMAEI durante o Westway LAB Festival e Conferência Profissional de Música, em Guimarães, em Abril 2019; bem como a edição impressa deste primeiro volume na última AG da AMAEI no mês de Novembro deste ano.

O projecto será liderado por Pedro Nascimento, director, produtor e editor da Turbina, e também actual Vice-Presidente da AMAEI. Contará, durante a actual licença sabática da Directora Executiva da AMAEI
Ana Figueiredo (Doutoramento), com a assistência da Coordenadora Executiva, Ana Rita Feijão, levando a cabo entrevistas com os associados que visam recolher os dados informativos sobre as edições, bem
como links digitais para os discos em si (sempre que existam). Este trabalho será levado a cabo tanto através do contacto individual com os associados, bem como com a divulgação do projecto nos workshops
regulares da AMAEI em Lisboa, Porto, e outras localidades, de forma a promover a participação no mesmo. Em paralelo, o Presidente Nuno Saraiva irá abordar a Fundação GDA para obter o seu contributo referente ao programa de apoio às auto-edições de artistas. Esta primeira edição do Acervo da Música Independente Portuguesa contará também com entrevistas a editores históricos do mundo da edição fonográfica independente nacional, complementando as páginas do catálogo impresso com conteúdos históricos e informativos que visam complementar as listagens de repertórios e catálogos de cada editora.

Após a sua publicação, o Acervo contará com a comunicação e promoção a todos os meios de comunicação social não só através de press releases e comunicados da própria Associação, como também dos seus Associados, começando pela actual direcção: Nuno Saraiva (SCL / Lusitanian Music); Pedro Nascimento (Turbina); Ricardo Ferreira (Blim Records); Márcio Laranjeira (Lovers & Lollypops); e João Morais (O Gajo).

 

Apoios: