Archives: Junho 2018

Merlin publica “Impact Report” na celebração do seu 10º aniversário

No seu 10º aniversário, a Merlin publica o “Impact Report” para celebrar o sucesso global das editoras independentes membro.

O relatório marca a primeira década da Merlin e procura explicar melhor como a estrutura única e o modelo de licenciamento veio permitir  ás editoras independentes competir no mercado da música digital – bem como um maior entendimento de como o streaming transformou a dinâmica comercial da música, e desvendou o verdadeiro valor do reportório independente no mercado global em expansão.

Atualmente, a Merlin representa mais de 20.000 editoras independentes em 55 territórios. Coletivamente, representam mais de 12% do mercado mundial da música digital.

O relatório, que pode ser consultado aqui, é acompanhado por um novo vídeo para celebrar o 10º aniversário de Merlin.

Principais destaques:

– A Merlin irá distribuir US $ 0,5 mil milhões por ano, aos associados;

– O reportório de membros da Merlin é o mais valorizado online e continua a captar subscritores;

– As editoras independentes estão a obter retorno financeiro em mercados que antes não eram representativos;

– A Merlin destaca um aumento de 36% no processamento mensal de dados.

Nova directiva sobre os direitos autorais a voto no Parlamento Europeu

A Google tem apostado numa campanha de desinformação sobre a nova política de direitos autorais. Todos os dias chegam aos deputados do Parlamento Europeu alegações falsas de que estará em causa o livre upload e acesso de informações na internet.

A comunidade artística independente manifestou-se através de uma declaração conjunta partilhada pela IMPALA, onde se pode ser:

“Representamos 4,5% do PIB da UE e 12 milhões de empregos europeus. Somos o coração e a alma da pluralidade e das identidades ricas da Europa. No dia 5 de julho pedimos que apoie o mandato adotado pela JURI em 20 de junho, que é o resultado de longas e intensas negociações. Há uma campanha de empresas de tecnologia que inundam as caixas de entrada dos eurodeputados com um alarmismo de que a directiva dos direitos de autor seria o fim da Internet. Por favor, note que este é o vigésimo aniversário da primeira reivindicação de que as disposições sobre direitos autorais iriam quebrar a Internet. Isso nunca aconteceu.

NÓS PRECISAMOS DE UMA INTERNET QUE SEJA JUSTA E SUSTENTÁVEL PARA TODOS ”

Veja a versão original AQUI.

 

LISTA DE ASSINATURAS:

  1. Abbro (Association of Bulgarian Broadcasters)
  2. ACT (Association of Commercial television in Europe)
  3. AIM (Association of Independent Music)
  4. AIPA (Collecting Society of Authors, Performers and Film Producers of Audiovisual Works of Slovenia)
  5. AMAEI (Associao de Musicos Artistas e Editoras Independentes)
  6. ANICA (Associazione Nazionale Industrie Cinematografiche Audiovisive Multimediali)
  7. Audiocoop (Independent Labels Meeting)
  8. BIMA (Belgian Independent Music Association)
  9. Bonnier Broadcasting
  10. Canal+
  11. CEDC (European Coalitions for Cultural Diversity)
  12. CEPI (European Coordination of Independent Producers)
  13. CEPIC (Centre of the Picture Industry)
  14. Confindustria Radio Televisioni
  15. DACIN SARA (Copyright in Cinematography and Audiovisual Society of Romanian Authors for Audiovisual Works)
  16. Directors UK
  17. Discovery
  18. DUP (Danish Independent Record Association)
  19. ECSA (European Composer and Songwriter Alliance)
  20. EIBF (European and International Booksellers Federation)
  21. ELIA (European League of Institutes of the Arts)
  22. EMC (European Music Council)
  23. EMEE (European Music Exporters Exchange)
  24. EMMA (European Magazine Media Association)
  25. ENPA (European Newspaper Publishers’ Association)
  26. EPC (European Publishers Council)
  27. ETC (European Theatre Convention)
  28. Eurocinema (Association de Producteurs de Cinéma et de Télévision)
  29. European Leagues
  30. EVA (European Visual Artists)
  31. FAC (Featured Artists Coalition)
  32. FAMA (Film and Music Austria)
  33. Fedicine (Federación de Distribuidores Cinematográficos)
  34. FEP (Federation of European Publishers)
  35. FIAD (International Federation of Film Distributors’ Associations)
  36. FONO (Association for Norwegian Record Companies)
  37. GAM (Guild of Artists of Music)
  38. Gesac (European Grouping of Societies of Authors and Composers)
  39. IAO (International Artist Organisation)
  40. ICMP (International Confederation of Music Publishers)
  41. IFPI (International Federation of the Phonographic Industry)
  42. IFRRO (International Federation of Reproduction Rights Organisations)
  43. IMPALA (Independent Music Companies Association)
  44. IMPF (Independent Music Publishers International Forum)
  45. INDIECO (Finnish indie labels and producers association)
  46. INDIESUISSE (Association of Swiss Independent Music Labels and Producers)
  47. IPA (International Publishers Association)
  48. KEA
  49. LATGA (Lithuanian Copyright Society)
  50. Mediapro
  51. Mediaset España
  52. MPA (Motion Picture Association)
  53. News Media Europe
  54. PMI (Produttori Musicali Indipendenti)
  55. PRS for Music
  56. Res Artis (Worldwide Network of Artist Residencies)
  57. SAA (Society of Audiovisual Authors)
  58. SABAM (Société d’Auteurs Belge – Belgische Auteurs Maatschappij)
  59. SACD (Société des Auteurs et Compositeurs Dramatiques)
  60. Sgae (Sociedad General de Autores y Editores)
  61. SIAE (Società Italiana degli Autori ed Editori)
  62. Sky
  63. SOM (Svenska Oberoende Musikproducenter)
  64. Sony Music
  65. SPIO (Spitzenorganisation der Filmwirtschaft (Association of the German Film Industry))
  66. STM
  67. STOMP (Stichting onafhankelijke muziek producenten)
  68. Stowarzyszenie Kreatywna Polska (Creative Poland Association)
  69. Stowarzyszenie Sygnał (Audiovisual Association for the protection of Intellectual Property Rights)
  70. TF1
  71. TVN
  72. OTM (On The Move)
  73. UFI (Union Fonogragrafica Independiente)
  74. UNIC (International Union of Cinemas)
  75. Universal Music Group
  76. UPFI (Union des Producteurs Phonographiques Francais Independants)
  77. VAP (the anti-piracy group for film and video in Austria)
  78. VAUNET (Association of Commercial Broadcasters and Audiovisual Services in Germany)
  79. VdFS (Verwertungsgesellschaft der Filmschaffenden)
  80. VÖP (Association of Commercial Broadcasters in Austria)
  81. VTMOE (Austrian Association of Independent Music)
  82. VUT (German Association of Independent Music Companies)
  83. Warner Music Group
  84. Yourope (European Festival Association)

AMAEI desenvolve 1º volume do Acervo da Música Independente Portuguesa

O primeiro volume do Acervo da Música Independente Portuguesa, proposto pela AMAEI, é um projecto de investigação, levantamento, documentação e promoção do património musical artístico contemporâneo nacional que visa catalogar pela primeira vez a vasta quantidade de edições independentes, sejam de editoras musicais independentes sejam auto-edições de artistas. Começando pelos mais de 70 associados
da AMAEI, mas visando também consultar a Fundação GDA de forma a conhecer melhor o universo dos artistas auto-editados, já que a Fundação GDA promove todos os anos apoios à auto-edição, o primeiro
volume do Acervo visa colmatar a quase total ausência de catalogação que possa promover o sector da música independente, física ou digital: o sector musical que se encontra actualmente em maior
crescimento, sendo 80% das novas edições contemporâneas edições independentes (de acordo com a informação da IMPALA – European Music Companies Association). Assim, o objectivo é iniciar a
publicação de um catálogo online, a ser apresentado ou inaugurado na Assembleia Geral da AMAEI durante o Westway LAB Festival e Conferência Profissional de Música, em Guimarães, em Abril 2019; bem como a edição impressa deste primeiro volume na última AG da AMAEI no mês de Novembro deste ano.

O projecto será liderado por Pedro Nascimento, director, produtor e editor da Turbina, e também actual Vice-Presidente da AMAEI. Contará, durante a actual licença sabática da Directora Executiva da AMAEI
Ana Figueiredo (Doutoramento), com a assistência da Coordenadora Executiva, Ana Rita Feijão, levando a cabo entrevistas com os associados que visam recolher os dados informativos sobre as edições, bem
como links digitais para os discos em si (sempre que existam). Este trabalho será levado a cabo tanto através do contacto individual com os associados, bem como com a divulgação do projecto nos workshops
regulares da AMAEI em Lisboa, Porto, e outras localidades, de forma a promover a participação no mesmo. Em paralelo, o Presidente Nuno Saraiva irá abordar a Fundação GDA para obter o seu contributo referente ao programa de apoio às auto-edições de artistas. Esta primeira edição do Acervo da Música Independente Portuguesa contará também com entrevistas a editores históricos do mundo da edição fonográfica independente nacional, complementando as páginas do catálogo impresso com conteúdos históricos e informativos que visam complementar as listagens de repertórios e catálogos de cada editora.

Após a sua publicação, o Acervo contará com a comunicação e promoção a todos os meios de comunicação social não só através de press releases e comunicados da própria Associação, como também dos seus Associados, começando pela actual direcção: Nuno Saraiva (SCL / Lusitanian Music); Pedro Nascimento (Turbina); Ricardo Ferreira (Blim Records); Márcio Laranjeira (Lovers & Lollypops); e João Morais (O Gajo).

Apoios: