AMAEI

WINTEL 2018 by WIN

Os Independentes representam 39,9% da música editada mundialmente!

Veja o vídeo e consulte o estudo completo AQUI

________________________________

Acervo da Música Independente Portuguesa VOL.I

________________________________

Tomada de posição sobre a Directive de Copyright

(Leia a carta completa AQUI)

Após a aprovação, pelo Parlamento Europeu, no passado dia 12 de Setembro, os textos da nova Directiva de Direitos de Autor e Direitos Conexos entraram na fase das negociações do trílogo: o Parlamento Europeu, a Comissão Europeia e o Conselho.

A AMAEI, Associação de Músicos Artistas e Editoras Independentes, na sua análise dos três textos propostas, afirma a seguinte tomada de posição perante os vários artigos pertinentes:

Quanto ao Artigo 13º, apoiamos o texto para que o YouTube e outras plataformas licenciem devidamente os conteúdos musicais, de forma a que comecem a pagar de forma justa por essas utilizações. Actualmente o YouTube paga actualmente um nono do valor por stream pago pelo Spotify: O Artigo 13º tem o dever de solucionar esta questão do “value gap”;

Sobre o Artigo 14º: apoiamos a necessidade de reportagem de royalties de forma transparente entre editoras e artistas.

No que aos Artigos 15º e 16º diz respeito, apoiamos a necessidade de haver justiça contratual e mecanismos de correcção e/ou actualização de contratos antigos, muitos deles celebrados antes da era digital. Apoiamos ainda o direito de revogação de contratos (Artigo 16a) quando uma editora não comercializa proativamente fonogramas que contratualizou, ou quando não presta contas de forma correcta e transparente.

Quanto ao Artigo -14º: Sobre  a remuneração de Artistas, acreditamos que não faz sentido caminhar nem para um regime de regulação estatutária nem negociação colectiva e sim apostar na continuação da gestão individual dos direitos dos nossos fonogramas.

Acreditamos no potencial da negociação colectiva para corrigir assimetrias contratuais do passado; mas não em qualquer abordagem colectiva ou estatutária que possa danificar a boa relação do sector independente com as plataformas com quem actualmente consideramos ter boas relações: Apple, Spotify e Deezer entre outras.

O sector independente é responsável por mais de 80% das novas edições ao nível Europeu e posiciona-se a favor de um mercado digital justo e próspero.


Pós-Graduação “Gestão nas Indústrias da Música”

A AMAEI estabeleceu uma parceria com a Coimbra Business School (CBS), no âmbito de desenvolver um programa de Pós-Graduação em Gestão nas Indústrias da Música.

Esta formação visa proporcionar aos formandos as competências e as ferramentas necessárias para uma atuação empreendedora, empresarial e comercial na indústria da música nacional e internacional, particularmente na indústria fonográfica. A pós-graduação foi estruturada com o objetivo de fornecer conhecimentos e competências práticas e conteúdos sólidos e atualizados sobre as indústrias da música e os setores económicos direta e indiretamente relacionados. Para o efeito, o plano do curso é abrangente e focado em áreas consideradas fundamentais e estruturantes para o perfil de uma/um music business manager (nos seus vários domínios: cognitivo, intelectual, cultural, técnico e prático).

Mais  informações no link.


A AMAEI tem a sua nova sede no Palácio Baldaya em Benfica, Lisboa

Estrada de Benfica, 701. 1549-011
Benfica, Lisboa, Portugal

A AMAEI, Associação Profissional de Músicos Artistas e Editoras Independentes em Portugal, é uma Associação Profissional Fonográfica que reúne os Produtores Fonográficos Independentes em Portugal, sejam eles editoras independentes ou músicos artistas auto-editados. A AMAEI é associada da WIN e da IMPALA.

Defender, unir, organizar e promover o sector da música independente nacional, tanto em Portugal como no estrangeiro, é a nossa missão.