AMAEI

PressReleaseImage

Anunciados os nomeados para Prémio Disco do Ano IMPALA 2016

A AMAEI anuncia que o álbum “Drifter” dos portugueses First Breath After Coma, editado pela Omnichord Records, foi nomeado para o prémio IMPALA Disco do Ano 2016.


AMAEI é a associação nacional de editores fonográficos independentes, e como associada da IMPALA – The Independent Music Companies Association –  está encarregue de selecionar o melhor disco nacional a concorrer pelo prémio de disco do ano na Europa. A IMPALA já revelou a lista de nomeados para a sétima edição do prémio IMPALA Disco do Ano. Uma vez mais, a selecção atesta a diversidade e qualidade de editoras independentes na Europa, sendo que a lista junta vinte cinco nomeações para uma representação de dezanove países.

Na lista, podem encontrar-se representantes de todos os géneros e gerações, desde os lendários Radiohead, vindos do Reino Unido, os suíços One Setence. Supervisor, conhecidos pelo seu krautpop,os incontornáveis Meshuggah, pioneiros dentro do metal progressivo, o rapper holandês Boef e a nova cara do Italo-disco Jolly Mare.

As votações para decidir quem sucederá a Jose Gonzalez e ao seu aclamado disco “Vestige & Claws” já estão a decorrer e o vencedor será anunciado no final de Março.

Eis a lista de álbuns nomeados, ordenados alfabeticamente por artista:

Agnes Obel – Citizen of Glass (PIAS)
Bisse – Højlandet (Gateway Music)
Blood Orange – Freetown Sound (Domino Records)
Boef – Gewoon Boef (Zonamo Entertainment)
Claudio Capéo – Claudio Capéo (Jo and Co)
Danny Brown – Atrocity Exhibition (Warp)
Dubioza Kolektiv – Happy Machine (PIAS)
First Breath After Coma – Drifter (Omnichord Records)
Hangutazók – Indulj El (RNC Music / Egység Média)
Highasakite – Camp Echo (Propeller Recordings)
Jolly Mare – Mechanics (42 Records/Don’t Panic)
Kase.O – El Círculo (BOA)
Klaus Johann Grobe – Spagat der Liebe (Cargo Records)
Lost Frequencies – Less Is More (Lost & Cie)
LUH – Spiritual Songs for Lovers to Sing (Mute Records)
Mark Ernestus’ NDAGGA RHYTHM FORCE – Yermande (Ndagga)
Meshuggah – The Violent Sleep Of Reason (Nuclear Blast)
Mikko Joensuu – Amen 1 (Svart Record)
One Sentence. Supervisor – Temporär Musik 1-13 (Oh, Sister Records)
Oscar – Cut And Paste (Wichita Recordings)
The Radio Dept. – Running Out of Love (Labrador)
Radiohead – A Moon Shaped Pool (XL Recordings)
Sara Renar – Tišina (Aquarius Records)
Škrtice – Škrtice (Lampshade Media)
Židrūns – Židrūns un tas, ko nevar nest (I Love You Records)

“Colocar os holofotes sobre o álbum mais excepcional do ano sempre foi a essência deste prémio. Uma vez mais, temos uma grande lista de nomeados, com novas caras e artistas independentes consagrados. Agora, cabe ao juri decidir que álbum considera o melhor de 2016”, comentou a directora executiva da IMPALAHelen Smith.

Há uma playlist com os álbuns completos, assim como uma só com os singles, disponível no Spotify para que os juízos sejam feitos também desse lado.

Álbums: https://open.spotify.com/user/impalamusic/playlist/5aopAUz9bsc6Ik3UQewbjh
Singles: https://open.spotify.com/user/impalamusic/playlist/13R4L8B9Lbmqbo3QB9Vt9h


WORKSHOP AMAEI: A Internacionalização da Música Portuguesa

WORKSHOP AMAEI_LISBOA_MARCO17_POSTER-01

Dia 21 de Março a AMAEI promove mais um workshop na Sala Multiusos do CIM – Centro de Inovação da Mouraria, sobre um tema vital à sustentabilidade e profissionalização da música portuguesa: a internacionalização.

Num mercado global com a Internet como ferramenta essencial de divulgação e distribuição de música, é fundamental olhar para o mercado sem fronteiras e compreender que tipo de estratégias de exportação se podem adoptar, mediante os objectivos e o tipo de música e de artistas que se pretendem internacionalizar.

No rescaldo da participação de mais de 20 artistas e de uma comitiva de muitaz dezenas de profissionais portugueses no Eurosonic, aquando do Portugal Country Focus, teremos aqui uma excelente oportunidade de perceber o impacto que este tipo de iniciativas de internacionalização têm nas carreras dos artistas nacionais. Com convidados especiais (a divulgar), esta será uma sessão de partilha de conhecimento e de apredizagem dedicada a todos os profissionais da música.

O workshop vai proporcionar uma visão global e sistematizada sobre o que se pode e deve fazer para levar a nossa música além fronteiras.

Orador: Nuno Saraiva – Presidente da AMAEI; Director Executivo da Associação Why Portugal; Editor e Publisher; Consultor de Desenvolvimento Internacional; Membro fundador do MMF; Membro da Direcção da IMPALA.

Inscrição: 10 euros
Gratuito para associados AMAEI
Inscrições e questões por e-mail para ana@amaei.org até dia 20 de Março

Local e hora: Sala Multiusos, Centro de Inovação da Mouraria na Travessa dos Lagares 1, 1100-.300 Lisboa, pelas 15h

Esperamos por vocês!

Evento no Facebook.

Esperamos por vocês!


ESNS_LOGO_2012

Portugal é o país em destaque no Eurosonic em 2016

Em 2017, Portugal será o país de destaque (country focus) na maior feira profissional e festival de música da Europa – o Eurosonic Noorderslag.
A programação do Eurosonic irá integrar um número mais elevado de projetos e artistas portugueses que terão a oportunidade de apresentar o seu trabalho perante uma audiência de mais de 4.000 representantes do mercado da música internacional, nomeadamente agências de artistas, programadores de festivais, e outros profissionais de importância primária na internacionalização de carreiras artísticas.

A convite da plataforma WHY Portugal estiveram em Portugal três dos membros do Comité de Programação do Eurosonic Noorderslag, Robert MeijerinkRuud Berend e Peter Smidt para uma sessão de apresentação do evento integrada no NOS Primavera Sound, no Porto.

Sobre o Eurosonic:

O Eurosonic Noorderslag acontece na cidade holandesa de Groningen e celebrou a sua 30ª edição este ano. Conta com mais de 3.900 profissionais da indústria da música, mais de 340 showcases de artistas holandeses e internacionais e 175 painéis e conferências.
É o ponto de partida para o debate e principal rede de contactos para a indústria da música internacional focado na música europeia, digressões, festivais, música ao vivo e media. Da mesma forma, tem sido, ao longo dos anos, a plataforma de lançamento para inúmeros artistas europeus que, posteriormente à sua presença no Eurosonic, desenvolveram carreiras internacionais de destaque.

Sobre a plataforma WHY Portugal:
A plataforma WHY Portugal tem como objetivo agregar artistas e profissionais da indústria da música portuguesa numa base de dados, seguindo a lógica de plataforma de music exchange.
Pretende fomentar contactos B2B bem como apresentar os artistas nacionais e as equipas profissionais que os representam aos delegados internacionais presentes nas várias feiras e congressos da indústria da música a nível internacional.

WHY Portugalhttp://www.whyportugal.org

Notícia no DN



Screen shot 2015-06-03 at 12.40.53 PM

A AMAEI no Centro de Inovação da Mouraria

A AMAEI tem, desde dia 29 de Maio, um posto de trabalho no novo Centro de Inovação da Mouraria.

O Centro de Inovação da Mouraria / Mouraria Creative Hub é a primeira incubadora de Lisboa a apoiar projetos e ideias de negócio das industrias criativas, em especial nas áreas de Design, Media, Moda, Música, Azulejaria, Joalharia, entre outras.

Convidamo-vos a visitar o espaço e o trabalho da AMAEI! Basta enviar um e-mail ou ligar para marcar a visita. Esperamos por si!

 

 


A AMAEI, Associação Profissional de Músicos Artistas e Editoras Independentes em Portugal, é uma Associação Profissional Fonográfica que reúne os Produtores Fonográficos Independentes em Portugal, sejam eles editoras independentes ou músicos artistas auto-editados. A AMAEI é associada da WIN e da IMPALA.

Defender, unir, organizar e promover o sector da música independente nacional, tanto em Portugal como no estrangeiro, é a nossa missão.